Publicador de Conteúdos e Mídias

FT

Viagem ao exterior: qual o limite de dinheiro que posso levar?

Vinicius Casagrande

Uma viagem ao exterior, seja a lazer ou a trabalho, exige muito planejamento prévio. Além da definição do roteiro, compra da passagem aérea e reserva de hotel, a compra de moeda estrangeira é um passo essencial para o sucesso da viagem. Uma dúvida de muitos viajantes é em relação à quantidade de dinheiro permitida para sair do país.

As regras para entrada e saída de dinheiro em espécie no Brasil são definidas pela Lei de Câmbio e Capitais Internacionais (Lei nº 14.286/2021). A legislação, que entrou em vigor em dezembro de 2022, estabelece um limite de até US$ 10.000 ou seu equivalente em outras moedas, aumentando significativamente o teto anterior que era de R$ 10.000.

O aumento para US$ 10.000 atende a grande maioria dos viajantes internacionais, especialmente para quem faz viagens longas e em famílias. Segundo o Banco Central, o novo limite está alinhado com o praticado em outros países, facilitando a vida do viajante internacional.

Qual a melhor forma de levar dinheiro ao exterior?

Atualmente, existem diversas opções para pagar suas despesas no exterior. As principais são dinheiro em espécie, cartões de contas internacionais e cartão de crédito. Entre essas opções, o dinheiro em espécie continua sendo uma das preferidas pelos viajantes.

Mesmo para quem opta por usar contas internacionais ou cartão de crédito, é essencial ter algum valor em espécie para as primeiras despesas ou pequenos gastos. Além disso, o uso de cédulas e moedas é especialmente importante em destinos onde o uso de cartões de crédito pode ser limitado ou onde a conexão de internet para transações eletrônicas pode ser instável.

Para adquirir moeda estrangeira, basta ir a alguma casa de câmbio, ainda no Brasil, e trocar seus reais pela moeda escolhida. As preferidas dos brasileiros são o dólar e o euro, mas dependendo do destino é possível adquirir também outros tipos de moedas.

As contas internacionais têm crescido como uma opção para os viajantes. Quem opta por essa alternativa também pode se dirigir a um caixa eletrônico para sacar uma parte do saldo em espécie.

No Brasil, a Brink's faz o transporte de moeda estrangeira para bancos e casas de câmbio, atendendo toda a cadeia. Dentro do serviço de gerenciamento de caixas eletrônicos, a Brink’s também opera máquinas voltadas a moedas estrangeiras. Uma atuação que garante a segurança e facilita a vida dos viajantes.

Mais da nossa biblioteca de insights:

A importância do capital de giro para seu negócio

Acesse aqui para saber mais

Ler Mais

Brinks apresenta soluções completas para Instituições Financeiras e Varejo no Febraban Tech 2024

Acesse aqui para saber mais

Ler Mais

A importância dos cofres inteligentes da Brink's para o mercado varejista

Acesse aqui para saber mais

Ler Mais